Procurar na Bubok

Nuno Augusto Pontes

Um português, narrando em primeira pessoa, usa suas aventuras dos tempos vividos nos canteiros de obras do Governo do Brasil, nos anos 70, para, com realismo e muita fantasia poética, usando "peões de trecho", cenários lindos, adversos e inóspitos, violência, prostituição infantil, medo e muita coragem, criar anbiente para o encontro, em Rondônia, de Caio (um mecânico ajustador, paulista), com a heroína cearense, Mara (assistente social do INCRA), e para mostrar anõnimos heróis brasileiros do século XX.