Procurar na Bubok

Marcelo Portuária

Afundo meu coração alado a este espaço dos cubatões da serra do mar, frente a grande serra, com os pés molhados dos mananciais. Aqui vive um estudante, advogado militante no Estado de São Paulo, que carrega no algorge estudantil, a voz dos oprimidos e as indignações dos inflamados. Pouco mais do que vinte e poucos anos, tento levar na algibeira o sal dos mares e o branco das cascatas. Formando da Academia de Direito da Universidade Metropolitana de Santos, atravesso a avenida científica, versificando minhas paixões de caiçara, com o sonho acadêmico. Minha origem é modesta, certamente encontraras o cheiro de pasto em meus antepassados e a fé sertaneja em minha família. Vivo em Cubatão, no grito incessante das máquinárias industriais, e os rios, ouvindo os causos operários e a esperança do progresso. Frequento os suburbios onde a voz é rouca e abafada, onde o grito é ameno e amuado, estou perto das cores fortes, e dos aromas agrestes. Minha fala é rápida e arisca, me privo de atropelar os outros, mas não me calo. Sou usufrutuário perpétuo dos grandes clássicos, no conselho das altas horas, no afã descabido da madrugada, na tênue poesia da manhã. Com meus amigos dou risadas,e os elogios são nosso alimento, para eregir nossa paz e humor. Tenho a melhor família do mundo, presente e ativa, como o passar dos segundos no ofício dos relógios. Aqui em Cubatão depositamos , eu e outros, a fé que o futuro brindará com sua espuma de bom juizo. Acreditamos no futuro dessa terra, e seu desenvolvimento é nossa esperança para irradiar com o sol o horizonte perfeito. Refiro àquilo que Benedito Calixto quis dizer quando viu os tropeiros desembarcarem nas barcarolas vindas do estuário, o sonho, o cotidiano, o amanhã. Para melhor do que ler, venham todos ver tal menção, para poderem dizer por si, o que a majestosa natureza contrói com seu condão mágico.