Roqueta Editora

O autor de LILI, trinta e três anos depois do cunho de algumas regras gramaticais por alguns escritores aleatórios, influenciado por outros autores clássicos e contemporâneos como Rousseau, Lima Barreto, Gustave Flaubert e Jesus Cristo, faz piada com a piada criada pelo establishment que institui as regras de correção social e gramática. 

Mergulhe neste não-enredo envolvente como se qualquer momento fosse aquele prévio ao sono ou após a morte. Pergunte-se por quê, como, para pára e corra o risco de não achar respostas ou ser brutalmente assassinado pelos javalis que lhe observam neste exato momento. 

Boa leitura!