António Xavier

António Xavier, engenheiro de formação (IST), dedicou-se desde muito cedo ao cinema não profissional sendo autor  e co-autor de vários filmes em Super 8 .  Foi Presidente da Direcção do Clube Micro Cine, já inexistente, e da Federação Portuguesa de Cinema e Audiovisuais, tendo sido também membro de júris de festivais de cinema. Trabalhou na área da cultura, desde 1974, tendo sido Director-Geral no departamento dos Espectáculos e das Artes onde foi responsável, na área da gestão, pela criação das Orquestra Sinfónica Portuguesa e da Orquestra Clássica do Porto. Foi ainda   Presidente do Instituto das Artes Cénicas com tutela da gestão dos Teatros Nacionais D. Maria II  e de S. João, no Porto e, mais tarde,   administrador da Fundação S. Carlos com o pelouro da Orquestra Sinfónica Portuguesa. De 1998 a 2011 foi Presidente da Comissão de Classificação de Espetáculos e, a nível internacional,    Chairman do PEGI Council, organismo europeu de classificação etária de jogos de computador  do qual ainda é membro. Em 2003 publicou, em edição Almedina, “As Leis dos Espetáculos e Direitos Autorais- Do Teatro à Internet,  em 2014,  “De Bogotá a Budapeste”, crónicas de viagem com edição Versbrava e, em 2019, “Histórias do Palácio Foz” , editado por Aletheya.