Calendario 19 / Abril / 2015 Cantidad de comentario Sem comentários

“Um livro, seja qual for, deve conter nobreza, beleza, assuntos de interesse. Não é possível interessar a toda a gente.Cada pessoa é especial…”

Hoje conversamos com Maria de Lourdes Gomes de Oliva, que acaba de publicar o livro de poesia “Não me esqueças” na Bubok. A autora revelou de onde vem sua paixão pela poesia e como está conduzindo a promoção do livro. Veja a entrevista completa abaixo.

 

foto autora finalQuem é a Maria de Lourdes Gomes de Oliva?

Chamo-me Maria de Lourdes Gomes de Oliva, sou uma mulher de aparência cuidada, até talvez com um quê, que faça presumir de mim uma ideia errada. (Sou vaidosa no vestir, apenas). Sou uma pessoa simples, sensível, amiga do seu amigo, perspicaz, de expressão fluida e correta. Sou professora e, como tal, tenho uma propensão natural para falar de forma correta, notando qualquer palavra ou expressão que não esteja como sei que gramaticalmente, e na semântica, deva estar. Aprecio a beleza em todas as suas variantes. Gosto de escrever. É a minha terapia. A família é a minha força. É para ela que vivo.

Qual tem sido o seu percurso como escritora?

Como escritora, nunca publiquei nada digno de realce, nem que o não fosse. Tenho grande quantidade de livros manuscritos, de poesia. São vivências de todos os dias, cheios de sentimento. Todos os dias escrevo. É-me tão necessário como comer, beber ou dormir. Escrever faz parte do que sou e é consequência do que sinto. É uma escrita despretensiosa, simples, verdadeira, intimista.

Fale-nos um pouco do seu livro e, o que a levou a escrevê-lo.

O meu livro é a compilação de alguns poemas, dos muitos que tenho, em livros manuscritos ao longo de quase toda a vida. Já no Colégio, era a melhor intérprete de Camões. Os Lusíadas não tinham para mim qualquer segredo. Um dia as minhas colegas, escreveram-me em nome de Camões, de “além-túmulo”, uma declaração de amor, supostamente pela afinidade que haveria entre ambos.

O que me levou a escrever, foi “o sonho”, o querer evadir-me da realidade, dar a mim própria o que, só eu sabia. O que me moveu, foi, também, o deixar um testemunho de vida, sobretudo para as novas gerações, nomeadamente e também para a minha neta, assim como uma “fotografia da alma” para os meus familiares e amigos, num assomo de partilha de pensamentos e sentimentos. Gosto de desafios e este livro para mim foi ainda um exercício literário, real, várias vezes ansiado e à espera do momento ideal, da maturação necessária.

O que a poesia representa para você?

A poesia representa para mim, uma forma de estar. Tudo para mim é poesia e arte. A poesia é a sublimação dos sentimentos numa profundidade não alcançável por qualquer pessoa. Tem que ser especial quem aprecia a poesia. Tem que tê-la entranhada de tal forma, que a sinta em qualquer lugar ou situação. Representa para mim, uma das minhas razões de viver. É o consolo nas horas vazias, é o presente precioso, nos dias festivos e felizes.

Que tipo de leitores desfrutará deste livro?

Quem me conhecer, ou quem, através dele o queira fazer. Amigos atuais e remotos, dos velhos tempos. Pessoas ligadas ao ensino ou a quaisquer encontros mais ou menos fortuitos, com pessoas com quem me relacionei em qualquer momento. Serão leitores deste meu livro, todas as pessoas que apreciem poesia intimista, que identifiquem-se com a minha escrita, que gostem de partilhar experiências literárias do género, que queiram ter uma carteira de poemas para todos os momentos da vida, para refletir e inspirarem-se. Este livro retrata as minhas raízes beirãs e todos quantos o lerem, poderão ver refletidos o estado de espírito das gentes deste e doutros povos, nesta que é uma aldeia global.

Vem fazendo algum tipo de promoção como autor do seu livro?

Sim. Criei uma página no Facebook, a minha filha tem um grupo com o título do livro e há uma interação entre a página Bubok, a página e o grupo no Facebook. Procedemos também ao envio de emails para amigos e conhecidos, que não possuem facebook. Para além disso a página Bubok tem um Pinup.

Para além destas iniciativas online, tenciono vender alguns livros em eventos públicos, assim como, em tertúlias de poesia a programar, ou mesmo, em palestras promovidas pelas entidades interessadas.

Já há uma primeira apresentação programada, que ocorrerrá no dia 2 de maio entre as 15:00 e as 17:00h no Café Sô (A5 Norte, na Estação de Serviço Galp de Oeiras, Direção Cascais A5 – KM 9.6 – 2780 OEIRAS).

Porque decidiu publicar o livro com a Bubok?

Decidi publicar o meu primeiro livro, com a Bubok, porque é uma editora que tem a vantagem de ser online e ao mesmo tempo, ter representação em livrarias nacionais e internacionais. Oferece uma plataforma acessível e inteligente, para publicação de livros, tem uma estrutura informática bem montada, nomeadamente “packs de publicação” bem estruturados e flexíveis e sobretudo, porque permite a autopublicação personalizada e com apoio técnico, facilitando o processo criativo. Oferece, para quem não é escritor conhecido, possibilidade de publicar sem custos excessivos e, tem em conta, o facto do mercado livreiro ser muito solicitado. Por isso a Bubok tem um sistema versátil que promove e disponibiliza os livros a preços competitivos, atendendo a que as livrarias em Portugal ficam com 30% das vendas.

Tive um apoio constante e personalizado, que quero realçar, por parte da gestora comercial, que muito me agradou e um atendimento sempre cortês e prestável. Atraiu-me também a plataforma da livraria online, de fácil pesquisa, com classificação e “rankings” de diversos tipos que ajudam a uma escolha mais informada. Tudo isto contribuiu para que eu escolhesse a Bubok e, até ao momento, estou satisfeita.

O que recomenda a quem queira autopublicar um livro?

Recomendo que se dispa de preconceitos ou fátuas vaidades. Que queira partilhar sentimentos e ideias e através dos seus livros, tenha a noção de como pode ajudar, fazendo os possíveis por lhes dar prazer de ler e gosto, na apreciação de pensamentos, presentes ou recônditos, que façam parte de qualquer cambiante da vida.

Um livro, seja qual for, deve conter nobreza, beleza, assuntos de interesse. Não é possível interessar a toda a gente. Cada pessoa é especial…

 


nao me esquecasNão me esqueças

Autor: Maria de Lourdes Oliva
Nº de páginas: 250
Tamanho: 150×210

São sentimentos saídos da alma, em momentos de alegria e tristeza, de esperança e descrença, que dão voz aos versos, de leitura harmoniosa, contendo vivências do dia a dia, num contexto impregnado de romantismo.

Adquira um exemplar na livraria Bubok.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

He leído y acepto las políticas de privacidad