Calendario 05 / Abril / 2015 Cantidad de comentario Sem comentários
buildings-669904_1280

 

Continuamos com o bloco de conselhos de escrita. Hoje propomos um desafio: descrever lugares onde nunca esteve, lugares que não existem ou que existem, mas que são totalmente inacessíveis.

Aqui vão 5 ideias para ajudar com estas descrições:

  1. Documente-se

A solução mais óbvia é reunir o máximo de informações que puder em diferentes meios: internet, guias de viagem, documentários, filmes, livros de ficção, ensaios, museus, depoimentos de amigos e familiares… Ou seja, obter múltiplas perspectivas do cenário desejado e assim pode ir gerando sua própria visão. Para lugares inventados, você pode basear-se nas características de diferentes locais e combiná-la entre si. Se o tempo também for um problema (uma história que ocorre no passado) esta etapa vai exigir um esforço especial, mas não se desespere: a digitalização de documentos em bibliotecas e museus facilita cada vez mais o acesso à informação.

  1. Use sua imaginação para preencher as lacunas

Por mais que compile informação, sempre haverá algo que escapa ao seu conhecimento. A imaginação pode ser uma óptima maneira de colocar estas lacunas a seu favor. Não se esqueça que a ficção é uma mentira, então basta com que a mentira seja consistente.

  1. Não é necessário dizer tudo

Um erro comum após o processo de documentação é o desejo de capturar tudo que foi aprendido na investigação. Provavelmente passou semanas (ou meses) informando-se e está tão encharcado do lugar que de repente descrições detalhadas tornam-se essenciais. O objectivo era obter dados do local e não transformar a sua história numa fonte de informação para outros escritores. Escolha o que seja verdadeiramente útil e guarde o resto (teoria do iceberg). E se não usar alguma informação, não se preocupe: o processo de compreender o contexto já valeu à pena.

  1. Reflicta sobre o papel do lugar na história

Por que decidiu escrever sobre esse lugar em particular? Um cenário distante, desconhecido, inacessível? Qual a sua importância na história? Talvez se deva perguntar se a sua abordagem das descrições deveria ser feita a partir desta perspectiva distante. E se a solução para alcançar uma história credível era deixar claro o quão pouco conhece o lugar?

  1. Quase tudo está inventado: a maneira de contá-lo é que faz a diferença

Provavelmente ninguém lhe dará um prémio pelo rigor de suas descrições ou pela originalidade dos lugares que invente. O importante é a forma como vai utilizá-los e apresentá-los na história. Mais uma vez, reflicta sobre o papel do cenário no desenvolvimento da trama. Será que o lugar tem uma identidade? Está personificado? Existe realmente? Materializa-se? É onde estão as personagens? Caracteriza-os? Ou eles nem sequer lá chegaram?


 

Esperamos que estas dicas sejam úteis. Lembre-se que você pode ler o resto de entradas do bloco de conselhos de escrita, clicando aqui. Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

He leído y acepto las políticas de privacidad