Calendario 07 / Janeiro / 2019 Cantidad de comentario Sem comentários

Se decidiu começar esse romance que esta a rondar pela cabeça ou se está no meio de um processo criativo, estas dicas serão de grande ajuda. Aqui daremos 5 chaves para começar a escrever a sério.Tomar a decisão de escrever é fácil. O complicado chega quando sentamos frente à pagina branca, verdade?

Ter uma ideia, dar-lhe forma a uma história e plasma-la em centos de palavras encadeadas não é uma nada simples. Precisamos de determinação, tempo e montes de imaginação.

Qualquer escritor e escritora trabalha ao máximo em cada livro que está a criar, sabemos. Por isso nos ficamos preocupados, para que os resultados sejam os melhores e que o autor fique satisfeito. Somos conscientes do trabalho que há detrás de cada uno dos livros que publicamos.

Também conhecemos as dificultades da criação literária e por isso queremos dar uma mão com este blogue, publicando posts com dicas e informação útil que possa pôr em prática à hora de escrever.

 

Escrever a sério: as chaves para começar

 

5 Chaves para começar a escrever a sério

 

 E o que é escrever a sério? A resposta é simples: publicar.

Quando escreve uma obra, seja do género que for, com a intenção de que seja lida pelo máximo número de leitores, já estamos a escreves à sério. Se está a trabalhar  num texto procurando sempre a maior qualidade possível e dando o melhor de si, esta tentando escrever à sério.

Escrever a sério é mais do que juntar palavras e provar sorte. Trata-se de mostrar do que és capaz. Quer escrever a sério? ¿Tomou á decisão? Vamos então ver essas cinco dicas para começar.

  1. Devora livros

A melhor formação que pode ter um escritor é a leitura. Os livros são como os pesos que musculão  o seu cérebro. Aí encontrará todo o necessário. Estilos, géneros, frases, formas, conteúdo, conhecimentos, ideias, estruturas, exemplos…

Anote, tenha sempre perto esta afirmação quando escreva: um bom escritor é um bom leitor.

Leia todo o que cair nas suas maus. Não tenha medo, saia da sua zona de conforto, combina géneros. Leia clássicos, romances, ciência ficção… qualquer tipo de narrativa.

Segue, não fique aí. Experimente a poesia, porque não? Ensaios, manuais, banda desenhada, novela gráfica… ¡Tudo!

Existem muitíssimos autores e autoras. De certeza que qualquer deles está a escrever agora mesmo um livro que gostaria de ler. Investigue, procure, leia.

 Desfrute.

Passe-o bem a ler. Si não tem o costume de ler todos os dias, comece por Moby Dick. Comece por algo mais acessível. Devagarinho, ao seu ritmo. Desfrute!

 Aprenda.

Nessas páginas que lê está tudo. Anote frases, conceitos, sublinhe passagens que goste, anote palavras, ideias.

Pode que ainda não saiba que fará com isso todo, mas não importa, você acumule igualmente. Quando decida escrever uma história essas notas no seu caderno serão muito úteis.

A leitura é um dos melhores recursos do escritor, se não o melhor. Quanto mais leia, melhor se expressará. Quanto melhor se expresse maior solvência obterá à hora de escrever.

Uma boa leitura te forma e diverte. O que mais pode pedir?

  1.   O tempo

O tempo é, à mesma vez, o maior aliado e o pior inimigo do escritor. Alguém que se dedica a criar precisa de espaço para o fazer. Isto não é sentar-se e já. Comparando com o desporto, por exemplo, escrever um romance é uma carreira de fundo. Se deixa de correr, acabou. Mas não desespere.

Se quiser começar a escrever mas o dia a dia não lhe da espaço vital para face-lo o truque está em usar meia hora todos los dias, não mais.

Procure um momento de 30 minutos e comece a escrever. Não importa se escreve uma página, meia ou somente um parágrafo.  Escreva todos os dias. Tal vez numa semana tenha duas páginas, pode que cinco e deste modo, ate terminar um capítulo. E começar de novo.

É muito melhor escrever uma página por dia que cinquenta cada três ou quatro meses. Nota-se quando um romance foi escrito aos poucos em grandes lapsos de tempo. 

Vença a carreira ao tempo, que não a intimide. E não sofra. Não use o fim de semana se não quer. Não cancele os seus planos por escrever. Não estrague as poucas horas de divertimento que tem em isto.

Por acaso o seu romance é um encomenda? Tem uma data limite? Não, certo? Pois não se angustie. Escreva, de vagar, mas sem pausa. Durma tranquilo com a satisfação de avançar, de não abandonar a sua obra. Um pouco cada dia.

Algo que funciona é anotar num caderno as coisas que poderia escrever ao dia seguinte de forma esquemática. Uma coisa assim:

Volta ao café onde perdeu as chaves. Encontra-se com ela. Falam. Ela conta que quer ser actriz. Ele mente. Depois de passar a noite juntos decide deixar o negocio e ir embora tão longe como puder. 

Lido assim não parece grande coisa. Mas todo isso será desenvolvido em varias páginas, com o seu estilo e a sua maneira de contar la historia. Ao dia a seguir, ao abrir a caderneta, verá a anotação e poderá continuar onde ficou. Há formas de vencer o combate ao tempo.

Pouco a pouco irá adquirindo prática e contará com maior agilidade à hora de escrever. Esses 30 minutos vão render cada vez mais.

Quando esteja para chegar a um momento chave, a uma episódio importante, pare. Aponte e amanha continue. Verá como arrancar a escrever cada dia é mais fácil.

  1. Seja o seu próprio leitor

Escreva o que gostaria de ler. Seja o seu próprio leitor. Como temos dito más arriba, ler tem de ser uma coisa que produza prazer, que a entretenha. Ao escrever sucede o mesmo. Tem de passa-lo bem. Crie a história que gostaria de ler. Conte-a com o estilo que quiser encontrar ao abrir um livro.

Não importa se não esta a cumprir as regras de género. Também não importa se o argumento não é o mais brilhante nunca escrito. Relaxe e desfrute! Com isso terá feito o 80% do seu trabalho.

¿Como seria um bom romance para ti? Detectives? Assassinos em serie? Fantástica? Romântica? Aventuras? Histórica? Nenhuma das anteriores ou uma mistura de varias?

Pense. Ao fim, deve desfrutar desarrolhando essa história durante muitas páginas.Escreva um romance a si. Se você desfruta a ler o que escreve, a demais gente gostará também. Se, no contrario, não esta convencido do que esta a escrever tem de se parar para reflexionar. Será difícil enganchar ao público com uma coisa que a si mesmo não acaba de convencer.

  1. Imite

Imite. Claro que sim. Quando esteja a ler e localize uma frase que da que goste, escreva! Depois pode usar nos seus escritos adaptándo-a ao seu estilo e a sua historia. No momento que a coloques no seu texto passará a formar parte de si. Não se trata de copiar e colar, para nada. Isso é uma coisa mesquinha e fica mal. Trata-se de usar os recursos que tenha ao seu alcance e fazer homenagem dos e das autoras que gosta.

Si gosta de Murakami, Florbela Espanca ou Doris Lessing, o normal é que sejam influencias directas na sua maneira de escrever. Antes de se preocupar pela forma em que você escreve, deveria estudar a forma de escrever de outros.

Usse a influencia de autores dos que goste. Desta maneira, aos bocadinhos, construirá e moldará o seu estilo próprio.

  1. Aceite as críticas

Quando escrevemos alguma coisa decente pela primeira vez, acreditamos que é maravilhoso ou que, como mínimo, está bastante bem. A realidade é que, seguramente, o nosso escrito deixe bastante a desejar e precise de uma volta ou dois. Tal vez porque usemos muitos adjectivos, as mesmas comparações muitas vezes, ou porque abusemos de deus ex machina para fazer avançar a trama, que a história não se compreenda bem, etc.

Isto é o normal ao principio. A única maneira de supera-lo é escrevendo mais e mais. Oiça aos que alavam a sua obra, mas oiça igualmente aos que a criticam. Algumas coisas serão fruto da mesquinharia, mas outras, ainda que sejam duras, farão que o seu livro melhore.

Deve ter em conta que o que escreve será lido pelos demais. Como diz o provérbio espanhol «nunca llueve a gusto de todos». Haverá leitores que gostem do seu estilo e outros para os que não significará nada. É importante assumir que não gostará a toda a gente. O melhor que pode fazer é ficar com as críticas boas e aprender das más.

Com os elogios obterá confiança, com as críticas construtivas aprenderá e crescerá.

E já está! Cinco chaves essenciais para começar a escrever a sério.

Se gostou tem sorte porque publicaremos mais posts com informação útil para apoio com o livro que está a escrever. Si está já pronto, podemos ajudar com a publicação. Força! Escreva a sua própria história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

He leído y acepto las políticas de privacidad