Dor, Prazer em Conhecer

Comprar Acabamento em capa mole por 17,78€ Comprar eBook em PDF por 0€

No dia 24 de dezembro de 1994, véspera de natal eu sai de casa para um passeio, o dia estava nublado, mas resolvi e fui com meus colegas.?s vezes somos surpreendidos de forma tãoinesperada, que temos certeza que aquilo jamais nos acontecerá; Em muitos casoscom os outros pode até ser que a gente já tenha visto acontecer, mas conosco...Impossível. Não que nos julgamos imunes, mas é que é tão surreal, que nãoprocessamos o inesperado. Vejamos o exemplo de umatragédia; Na tarde do dia vinte e quatro dezembro de noventa e quatro, estavaeu acompanhado de alguns amigos, a fim de iniciar as festividades natalícias.Decidimos então fazer um passeio a um vilarejo próximo a Belo Vale. Meus amigosbeberam bastante, como sempre fazíamos em datas festivas e finais de semanas,no entanto, naquele dia eu não estava muito disposto a beber como de costume,preferi a companhia de uma amiga para um bom papo. Enquanto eles se banhavam em umribeirão, que passava próximo de onde me encontrava, via-os se divertindo comosempre, mas não me demovi dá decisão de permanecer ali, conversando sobre o anoque se aproximava e com ele sonhos a serem realizados e metas a alcançarmos.Jovens cheios de sonhos e anseios, sem nenhuma preocupação ou responsabilidadecom o futuro. Caprichoso, que é destino, aodecidirmos que era hora de irmos embora, mudei de ideia e fui dar um mergulho,mesmo a água estando suja e a lagoa rasa... Ao me jogar a água se abriu e meucorpo se chocou bruscamente contra o chão duro, imediatamente perdi asensibilidade do corpo. Meu Deus, ao abrir os olhos o que vi foi um cenárioamarelado, parecia um prenúncio do meu futuro, turvo, sombrio. Ao menos foi oque pensei nos primeiros quinze dias, pós-acidente. Foi então que iluminado porDeus, pensei; “Se fosse um dos meusirmãos, o que eu poderia fazer por eles e por minha mãe?”... Então com os olhoslacrimejantes, balbuciei: “Por mim, eu só preciso viver.” Desde então venhodescobrindo a vida dia a dia, uma novidade, uma conquista a cada novo amigo. Descobrium jeito diferente de olhar o mundo, o futuro e viver o amor. Sabia que nadaseria mais como antes, mas eu estava vivo e isso agora era o mais importante. Hoje sem as pernas para caminhar, encontrei nasasas da imaginação uma forma de voar, indo onde minhas pernas jamais poderiamme levar. Aprendi muito nestes anos, sofri, chorei, cantei, sorri, mas o quequero é mais que sentir, quero ser útil e, percebo que somente através do meu trabalhoé que conseguirei alcançar meu intento. Não quero, tão pouco preciso sertratado com piedade, apenas com o respeito que conquistar.

Quero publicar um livro Ver mais livros