Procurar na Bubok

2011 - O ano em que o mundo quase acabou

Disponível em:
Impostos não incluídos
  • Autor: Pedro Esgalhado
  • Estado: Público
  • Nº de páginas: 192
  • ISBN eBook em PDF: 978-84-686-3420-3
  • eBooks vendidos: 2
Ver ficha técnica completa
Uma compilação de crónicas de sátira política escritas ao sabor dos acontecimentos (em Portugal, e não só), com a intenção de provocar um sorriso nos lábios do leitor, mas também de induzir a reflexão e estimular o espírito crítico.
Um livro escrito sobre factos contemporâneos, polvilhados aqui e ali com transcrições de passagens de textos históricos que lhe dão consistência e que poderão explicar a quem lê porque é que o texto se mantém actual.
Este é também um livro escrito com a intenção de não personalizar as questões, pese o facto de ser impossível isolar os actos de quem os pratica.
Um livro, enfim, que muito embora faça os leitores portugueses sentir-se de imediato identificados com o seu conteúdo, a visualização de caricaturas diversas na imprensa e nas redes sociais publicadas noutros países leva a pensar que é bem possível que não só em Portugal, os eventuais leitores se sintam igualmente identificados, se não na totalidade, pelo menos em parte...
3 Comentários sobre este livro Registe-se para comentar este livro
26 de Março de 2013 por PedroEsgalhado
Bom dia a todos - a ser verdade, hoje é o dia do livro de autor português. Coincidências: desde hoje, este está disponível em modelo "novas tecnologias"... convido todos a partilhar a boa nova (particularmente, todos quantos se encontram dispersos pelo mundo integrados em comunidades lusas, e todos os que não sendo portugueses, pertencem ao espaço da lusofonia)
26 de Março de 2013 por PedroEsgalhado
O livro existe em edição em papel (pela "mão" da Quartzo Editora) e seria uma imperdoável injustiça não referir aqui o autor do grafismo que embeleza a capa: Rui Costa, artista plástico de Mangualde que bem merece ser projectado para o mundo (e se isso for conseguido por via deste livro, pois que seja - é justo)
26 de Março de 2013 por PedroEsgalhado
é triste... o livro continua actual :-(